Bibliografia recente e relevante

Reynaldo Carvalho

"Nenhuma superfície é virgem, tudo já nos chega áspero, descontínuo, desigual, marcado por algum acidente: o grão do papel, as manchas, a trama, o entrelaçado dos traços, os diagramas, as palavras."

Roland Barthes

 

 

 

 

O remix é objeto de estudo transdisciplinar cada vez mais difundido na academia e além. Apresento bibliografia recente sobre o tema, ideal para quem estiver disposto a aventurar-se nesse amplo campo de pesquisa.

 

1 - The Routledge Companion to Remix Studies
 Eduardo Navas, Owen Gallagher, xtine burrough – 2014

Remix Studies

É o livro mais abrangente sobre o tema que conheço.

O Routledge Companion to Remix Studies é composto por textos contemporâneos de pesquisadores e artistas que atuam no campo emergente dos estudos de remix. Como um movimento internacional orgânico, a cultura remixada transformou-se em rica atividade cultural que abrange inúmeras formas de mídia.

O ato de recombinar material preexistente suscita questões polêmicas e urgentes sobre autenticidade, recepção, autoria, direitos autorais e a política tecnológica do ativismo mediático. Este livro aborda estudos de remix de vários ângulos, incluindo seções sobre história, estética, ética, política e prática, e apresenta capítulos teóricos ao lado de estudos de caso de projetos remix. The Routledge Companion to Remix Studies é um recurso valioso para pesquisadores e profissionais de remix, bem como uma ferramenta de ensino para instrutores que usam práticas de remix na sala de aula.

 

2 - Of Remixology: Ethics and Aesthetics after Remix
David J. Gunkel – 2016

Of Remixology

Remix - ou a prática de recombinação de conteúdo preexistente - proliferou em meios digitais e analógicos. Os adeptos o celebram como uma nova e revolucionária prática criativa; os críticos caracterizam-no como uma reciclagem preguiçosa e muitas vezes ilegal do trabalho de outras pessoas. Nesse livro David Gunkel argumenta que, para entender o remix, precisamos mudar os termos do debate. Os dois lados da controvérsia, afirma Gunkel, compartilham certos valores subjacentes - originalidade, inovação e integridade artística. E cada lado procura proteger esses valores da ameaça representada pelo outro. Ao reavaliar esses pressupostos filosóficos compartilhados, Gunkel não só fornece uma nova maneira de entender o remix, mas também oferece uma teoria inovadora sobre o valor moral e estético para o século XXI.

Em uma seção chamada "Premix", Gunkel examina a terminologia do remix (incluindo "colagem", "amostra", "bootleg" e "mashup") e suas precondições materiais. Em "Remix", ele assume a distinção entre original e cópia e considera a questão da autoria em um mundo de conteúdo aparentemente infinito, recompilado e reutilizado. Finalmente, em "Postmix", Gunkel descreve uma nova teoria do valor moral e estético que pode acomodar o remix e seu significado cultural, remixando ou reconfigurando e recombinando abordagens filosóficas tradicionais no processo.

 

3 - Keywords in Remix Studies
Eduardo Navas, Owen Gallagher, xtine burrough – 2017

Keywords in Remix Studies

Keywords in Remix Studies consiste em 24 capítulos escritos por diversos pesquisadores. Os ensaios refletem sobre a linhagem crítica, histórica e teórica do remix que possibilita formas contemporâneas de comunicação e criatividade. O remix  consolida-se como paradigma de referência devido à sua natureza transdisciplinar e método fragmentado.  O foco em uma palavra-chave específica para cada ensaio permite a exposição da relação inconclusiva da cultura e da sociedade com o processo criativo e questiona os pressupostos sobre autoria, plágio e originalidade. Keywords in Remix Studies é indicado para estudiosos, pesquisadores, profissionais, palestrantes e estudantes, interessados ​​em alguns ou todos os aspectos dos estudos de remix. Pode ser um manual de referência e recurso introdutório, bem como uma ferramenta de ensino em todas as ciências humanas e sociais.

 

4 - Reclaiming Critical Remix Video - The Role of Sampling in Transformative Works
Owen Gallagher – 2017

Reclaiming Critical Remix Video

O argumento central do livro é que remixar consiste em uma prática fundamentalmente transformadora. A suposição de que as obras culturais devem ser consideradas uma forma de propriedade privada é questionada na era digital; assim, ele propõe um sistema alternativo para equilibrar os interesses econômicos dos produtores com a capacidade do público de se envolver com um crescente patrimônio intelectual de obras culturais. As análises multimodais do trabalho intertextual remixado e não remixado, com foco especial em exemplos de vídeo de remix crítico, alimentam a discussão, sintetizando uma série de métodos de investigação, incluindo análises semióticas, retóricas e ideológicas.

 

5 - Remixthecontext
Mark Amerika – 2017

Remix the Context

 Remixthecontext é uma coleção satírica de "ficções teóricas" composta pelo artista, romancista e teórico da mídia Mark Amerika. Os artistas de novas mídias agora podem expandir as formas da narrativa transmedia para a prática e a teoria contemporâneas. Em remixthecontext, Amerika se volta para sua própria pesquisa para investigar o que ele chama de "formas de filtragem" – uma versão manipulada das "formas de visão" de John Berger. Concentrando-se no modo como os remixólogos contemporâneos experimentam a linguagem conceitual e realizam experimentos nos campos da distribuição digital, remixthecontext apresenta a voz de um artista remix que é ao mesmo tempo um narrador transmedia, um artista da rede, um professor e um artista de mídia social. Neste trabalho, Amerika tenta criar um conjunto interdisciplinar de ficções teóricas que resistam à atração da "cultura da convergência".  Nesse contexto, o ensaio mistura escrita experimental, incluindo metaficção, teoria crítica e o que o artista denomina "pseudoautobiografia". Cada capítulo contém uma mistura provocativa que prepara o cenário para uma série de trocas livres que investigam uma infinidade de temas, incluindo a cultura remix, o automatismo psíquico, a fluidez de gênero, a distopia das mídias sociais, MOOCs como performance art e os desafios apresentados por currículos de artes digitais e humanidades de ponta dentro de um ambiente acadêmico esclerótico.

 

6 – Art, Media Design e Postproduction: Open Guidelines on Appropriation and Remix
Eduardo Navas – lançamento previsto para julho de 2018

Art, Media Design e Postproduction: Open Guidelines on Appropriation and Remix oferece um conjunto de diretrizes para projetos baseados em estúdio de arte e design. A aplicação de apropriação e remix  é comum em todas as disciplinas criativas devido à reciclagem contínua e à reutilização de conteúdo e forma. Consequentemente, os elementos básicos que anteriormente eram exclusivos da pós-produção para edição de imagem, som e texto, agora fazem parte da comunicação diária.

Eduardo Navas divide seu livro em três partes: produção de mídia, metaprodução e pós-produção. Os capítulos que compõem as três partes incluem uma introdução, metas para diretrizes de um projeto baseado em estúdio, que são complementadas com exemplos e estudos de caso. Cada conjunto de diretrizes é aberto, permitindo que o leitor reutilize o material instrucional de acordo com suas próprias metodologias e escolha do meio. Navas também fornece um contexto histórico e teórico para encorajar a reflexão crítica sobre os efeitos do remix na produção de arte e design. É o primeiro livro de diretrizes a levar em consideração o contexto histórico, teórico e prático de remix como um ato interdisciplinar. É uma leitura essencial para aqueles interessados ​​em estudos de remix e apropriação em arte, design e mídia.

Até a próxima.

Comentar

CAPTCHA
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
1 + 19 =
Resolva este problema matemático simples e digite o resultado. Por exemplo para 1+3, digite 4.