Os bens comuns intelectuais e a mercantilização

Miguel Said Vieira, 2014

Nos tempos atuais, quando muito da cultura do compartilhamento e da economia colaborativa vai sendo apropriado por grandes empresas, como o Facebook por exemplo, é fundamental pensar criticamente sobre bens comuns e mercantilização. Nesse sentido, a tese do Miguel Said Vieira traz uma contribuição de peso, com sólido embasamento teórico e estudos de caso bem desenhados.

Resumo

Esta tese investiga as relações entre os bens comuns intelectuais e a mercantilização, e os efeitos dessas relações, principalmente para o universo da educação. Seus objetivos centrais são: apresentar as principais teorias sobre bens comuns, e avalia-las quanto à capacidade de detectar e equacionar essas relações, e quanto à adequação para bens comuns intelectuais; analisar se bens comuns e mercantilização são incompatíveis, e até que ponto podem coexistir; verificando, em casos existentes de novos modelos de negócio que envolvem o compartilhamento de bens comuns intelectuais, se a mercantilização pode surgir a partir de bens comuns intelectuais e, indicando, em caso positivo, se o “saldo” resultante de compartilhamento e mercantilização nesses diferentes modelos é socialmente positivo ou não.

Baixe aqui.

Comentar

CAPTCHA
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
6 + 4 =
Resolva este problema matemático simples e digite o resultado. Por exemplo para 1+3, digite 4.