Ciência Cidadã

Makers e hackers no combate à pandemia

Makerspaces e hackerspaces têm tido atuação importante no enfrentamento cidadão da pandemia, especialmente na produção dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para distribuição a profissionais de saúde. Esses espaços são também adeptos e propagadores das tecnologias abertas que têm papel estratégico para a inovação, ainda mais em momentos de crise como agora. Para conversar sobre esses temas, a plataforma Segura a Onda, com apoio do Instituto Procomum, promoveu na última sexta-feira, 26 de junho, a live Makers e hackers no combate à pandemia, com os convidados Nano Gennari, do Calango Hacker Clube de Brasília, Guima San, do GypsyLab, e Edgar Andrade, do FabLab Recife e do Canal Maker, com mediação de Bia Martins e Luis Eduardo Tavares, ambos do Segura a Onda.

LAB de Emergência - primeiros resultados

Confira os resultados da primeira edição do LAB de Emergência COVID-19, realizado recentemente, que terá em breve nova chamada.

O comum e o conhecimento

A disseminação da ética hacker junto ao advento das novas tecnologias da informação e da comunicação permitiu a produção livre e colaborativa de conhecimento em níveis jamais vistos anteriormente. Entretanto, o poder econômico logo tratou de aperfeiçoar os mecanismos de propriedade intelectual de forma a se apropriar e extrair lucro dessa nova produção em rede. A perspectiva de Michel Foucault (2014) inovou as abordagens sobre o poder. Para o filósofo francês, onde há poder, há também resistência; e a melhor forma de compreendê-lo é partindo justamente da análise dessas formas de resistência. Então, junto a esses novos cercamentos, houve uma crescente demanda pela abertura dos processos de produção e circulação de conhecimento, manifesta em movimentos heterogêneos e descentralizados, de forma orgânica e em rede.

Manual de Capacitação sobre Ciência Aberta

Em fevereiro de 2018, um grupo de 14 autores se reuniram na Biblioteca Nacional Alemã de Ciência e Tecnologia, em Hannover, para escrever um manual aberto e vivo de capacitação sobre Ciência Aberta. Recentemente o Manual foi traduzido para o espanhol pela Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL). 

TECNOx 4.0 - Ética, Direitos Humanos e Tecnologias Livres

Um encontro sobre tecnologias livres, na perspectiva da América Latina e Caribe, e com o objetivo de criar um senso de coletividade para, em conjunto, produzir um manifesto que represente o ponto de vista e as demandas desses países. Este foi o mote do TECNOx 4.0 realizado na UFRGS, em Porto Alegre, de 11 a 15 de março, que teve como tema Ética, Direitos Humanos e Tecnologias Livres. Sem a pretensão de fazer uma cobertura extensa sobre tudo que foi apresentado e discutido por lá, que foi mesmo muita coisa e de muita qualidade, escrevo aqui algumas impressões, como um registro pessoal do que mais se destacou.

19.Tropixel – Abundância e Sobrevivência

Está aberta a chamada para participar da construção do Tropixel 19 que tem como tema Abundância + Sobrevivência. O evento acontecerá ao longo de todo o mês de junho de 2019, em diversos locais da cidade de Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. Nesta edição do evento não haverá uma programação centralizada, nem uma fonte central de recursos. Por isso mesmo, depende da participação ativa e criativa de quem quiser chegar junto.

Declaração do Panamá sobre Ciência Aberta

Por iniciativa da Fundación Karisma, do Centro de Internet y Sociedad de la Universidad del Rosario (ISUR) e do Sistema de Información para la Biodiversidad (SiB Colombia), um grupo de acadêmicos, ativistas e praticantes de ciência aberta na América Latina e Caribe elaborou o documento vivo Declaração do Panamá sobre Ciência Aberta, tendo em vista a definição de políticas públicas sobre o tema para a região.

Ciência comunitária, coletiva e aberta

Uma pessoa pode decidir participar de um projeto de Ciência Cidadã motivada por sua curiosidade: “Eu gostaria de saber mais sobre tal assunto!”.  Ou então por conta de sua preocupação com sua qualidade de vida e a de seu meio ambiente. Aí sim, com certeza, o cientista cidadão poderá contribuir em muito não só na produção de conhecimento, mas especialmente na busca por soluções para os problemas de sua comunidade. O vídeo Open Source Stories: the Science of Collective Discovery conta um pouco da história de alguns grupos de cidadãos que atuam nessa direção: decidiram tomar em suas próprias mãos a tarefa de monitorar o seu meio ambiente de forma independente e, dessa forma, ajudaram a encaminhar soluções para resolver os problemas detectados.

Em que medida a Ciência Cidadã contribui para transformar a sociedade?

As iniciativas de Ciência Cidadã contribuem para transformar a sociedade ou apenas promovem maior participação dos cidadãos na cadeia de produção de conhecimento sem abalar as estruturas vigentes? Esta foi a questão que permeou os debates na Sessão Temática  “Producción de datos científicos dentro y fuera de los espacios e infraestructuras tradicionales del conocimiento” das XII Jornadas Latinoamericanas de Estudios Sociales de la Ciencia y la Tecnología (ESOCITE), que tiveram lugar em Santiago de Chile, de 18 a 20 de julho de 2018.

Ciência Aberta, Ciência Cidadã, Ciência Comum

No dia 12 de abril participarei do seminário de pós-doutorado Ciência Aberta, Ciência Cidadã, Ciência Comum com a apresentação final de minha pesquisa “Hackerspaces e inovação de base: um estudo da experiência brasileira” junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, vinculado ao IBICT e UFRJ.

Páginas

Subscrever RSS - Ciência Cidadã