Por iniciativa da Fundación Karisma, do Centro de Internet y Sociedad de la Universidad del Rosario (ISUR) e do Sistema de Información para la Biodiversidad (SiB Colombia), um grupo de acadêmicos, ativistas e praticantes de ciência aberta na América Latina e Caribe elaborou o documento vivo Declaração do Panamá sobre Ciência Aberta, tendo em vista a definição de políticas públicas sobre o tema para a região.

Uma pessoa pode decidir participar de um projeto de Ciência Cidadã motivada por sua curiosidade: “Eu gostaria de saber mais sobre tal assunto!”.  Ou então por conta de sua preocupação com sua qualidade de vida e a de seu meio ambiente. Aí sim, com certeza, o cientista cidadão poderá contribuir em muito não só na produção de conhecimento, mas especialmente na busca por soluções para os problemas de sua comunidade. O vídeo Open Source Stories: the Science of Collective Discovery conta um pouco da história de alguns grupos de cidadãos que atuam nessa direção: decidiram tomar em suas próprias mãos a tarefa de monitorar o seu meio ambiente de forma independente e, dessa forma, ajudaram a encaminhar soluções para resolver os problemas detectados.

As iniciativas de Ciência Cidadã contribuem para transformar a sociedade ou apenas promovem maior participação dos cidadãos na cadeia de produção de conhecimento sem abalar as estruturas vigentes? Esta foi a questão que permeou os debates na Sessão Temática  “Producción de datos científicos dentro y fuera de los espacios e infraestructuras tradicionales del conocimiento” das XII Jornadas Latinoamericanas de Estudios Sociales de la Ciencia y la Tecnología (ESOCITE), que tiveram lugar em Santiago de Chile, de 18 a 20 de julho de 2018.

Os muros da academia, aos poucos, se abrem para maior interlocução com a sociedade. Um exemplo disso são os artigos interativos que estão sendo publicados pela revista Ciência Hoje. O formato é o seguinte: os autores lançam uma ideia inicial que será debatida com o público leigo através comentários, e a proposta é que esse diálogo contribua para a elaboração final do texto. O artigo interativo mais recente tem como tema o papel da altmetria, que são métricas alternativas para acompanhar e avaliar a ciência. 

Uma das formas de democratizar a ciência é facilitando o acesso e a apropriação de instrumentos de investigação científica. Essa é a proposta do projeto Conectar Ciência que promove oficinas em escolas e universidades para a criação de microscópios digitais no estilo Faça Você Mesmo (Do It Yourself).

As políticas de acesso aberto para publicações científicas vêm crescendo em todo mundo. Atualmente, há milhões de artigos das mais diferentes áreas de conhecimento disponíveis gratuitamente on-line. Por vezes, é possível encontrar trabalhos publicados em revistas fechadas e pagas disponíveis em repositórios abertos e livres, pelos mais variados motivos. Para facilitar a busca por publicações abertas, foram criadas algumas ferramentas que ajudam a localizar versões abertas dos artigos e, por vezes, oferecem outros serviços agregados.

Por Victor Barcellos

A iniciativa Entropia Coletiva de pesquisadores da UFRJ, considerado o primeiro crowdfunding científico do país, é importante não apenas porque viabiliza financeiramente as pesquisa, mas também porque aproxima a Ciência dos cidadãos em geral.

Mais de 100 pesquisadores, engenheiros, educadores e empresários que fazem parte de uma comunidade global de pesquisa publicaram um relatório descrevendo os passos necessários para se alcançar um acesso global ao hardware para fins científicos até 2025, através de design aberto, pesquisa colaborativa e novas técnicas de fabricação, incluindo impressora 3D.

Nas últimas semanas, vários espelhos do Sci-Hub saíram do ar. Para quem não conhece, trata-se de um repositório de acesso aberto com mais de 64 milhões artigos científicos originalmente publicados por periódicos fechados. Confira os que ainda estão ativos.

Que a Ciência Aberta e o software livre têm muito em comum, já sabemos. É reconhecida a influência do software livre para o surgimento do movimento Ciência Aberta, que preconiza os mesmos preceitos de que a informação deve ser livre para que o conhecimento possa se desenvolver o mais amplamente possível. Mas os laços entre os dois movimentos não estão apenas nos valores compartilhados, chegam mesmo à chamada mão na massa. É o caso da iniciativa Mozilla Science Lab que se define como uma comunidade de pesquisadores, desenvolvedores e bibliotecários que trabalham pela pesquisa aberta e acessível.

Páginas